segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

PASTORES: MODELOS DE DEUS

Cristo como o bom pastor, afresco de uma catacumba de Roma
A Bíblia insta que devemos ser imitadores de Deus (Mt 5.43-48; Ef 5.1). Para vivermos tal vocação precisamos de referenciais da vida divina. Além de Cristo, nosso modelo maior (Jo 13.15; 1Pe 2.21), a Sagrada Escritura afirma que devemos imitar nossos líderes (Hb 6.12; 13.7).
Ciente de tal responsabilidade e convicto de sua conduta diante de Deus e dos homens, o apóstolo Paulo escreve: “Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores” (1Co 4.16; cf. 1Co 4.6; 2Ts 3.9).
Porém, esse imitar não deve ser feito sem critérios, pois os liderados poderiam imitar até os defeitos e incoerências da vida de seus líderes. Daí o Apóstolo dos gentios afirmar: “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo” (1Co 11.1; 1Ts 1.6). Sendo assim muito grande é a responsabilidade dos pastores. Eles devem ser imitadores de Jesus Cristo para se tornarem referenciais de vida cristã para os demais membros da Igreja.
Tal responsabilidade ética e espiritual não pode se basear apenas na personalidade e no esforço humano que conta apenas com as próprias forças para ser um imitador de Cristo. “Sem mim”, disse Jesus, “nada podeis fazer” (Jo 15.5b). O grande fator sustentador do pastor como um exemplo é sua identificação com o Cristo da maneira proposta por Paulo: “Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim” (Gl 19b – 20). Vê-se, primeiramente, que o pastor deve ser alguém que tem plena consciência da obra da salvação que Cristo realizou por ele independente de seu ministério. Essa vivência é um viver pela fé e consciência da singularidade do amor de Cristo. Não é um esforço meramente estóico, mas um viver pela graça divina, o que não exclui a diligência humana em resposta à vocação de Deus.
Sendo assim o pastor e seus colegas podem afirmar: “Irmãos, sede imitadores meus e observai os que andam segundo o modelo que tendes em nós”.
Martin Luther King Junior:
Pastor batista que se tornou referencial na luta pelos direitos humanos

2 comentários:

  1. Joalsemar, tem gente que ainda fala que não precisamos de pastor!!!

    ResponderExcluir
  2. O texto de Efésios 4.1-14 é claro em afirmar que o ministério pastoral é uma das dádivas de Deus aos homens visando o aperfeiçoamento dos santos. Ainda que abusos sejam cometidos, o abuso não invalida o propósito de Deus. Louvemos a Deus pelos pastores!

    ResponderExcluir